Você sabia que escolher o método correto de higienização na indústria pode fazer toda diferença na hora de evitar contaminações dos alimentos?

Neste artigo vou te mostrar um método que funciona para você utilizar.

E você irá aprender quais os 08 passos que deve seguir! Vamos lá então…

Antes de continuar a leitura, clique aqui e faça o download do material completo!

A REALIDADE DA HIGIENIZAÇÃO NA INDÚSTRIA

A correria da indústria e a busca por produzir mais a qualquer custo, fazem com que os gestores tomem decisões perigosas em alguns momentos.

Eu acompanho isso diariamente.

Um exemplo disso é deixar de seguir a periodicidade estipulada para uma higienização para atingir a meta de produção. E esse fato é algo mais comum do que imaginamos.

E mais sério que isso é que muitas vezes o método de higienização utilizado foi escolhido sem critério algum. Outros nem método tem. Cada colaborador que entra na empresa, faz do jeito que lhe convém.

E o resultado disso é uma baixa eficácia quando o assunto é eliminação de microrganismos patogênicos.

Estudar, planejar e definir o melhor método de higienização na indústria é fundamental para garantir a segurança dos alimentos e a saúde do consumidor final.

Por isso, se você está fazendo as higienizações de qualquer jeito, pare tudo e repense suas ações. Você está correndo um sério risco de ver seu produto na lista dos recolhimentos no mundo todo e nos noticiários de casos de contaminação alimentar.

E QUAL O CAMINHO QUE VOCÊ DEVE SEGUIR

E para fazer uma higienização da forma correta é preciso estudar. Para definir o melhor método, a periodicidade ideal e os produtos mais adequados existem alguns aspectos que você precisa saber.

E é sobre esse assunto que quero tratar.

Higienização versus Limpeza

Algo bem importante de falar é que higienizar não é só limpar com detergente.

Higienizar é fazer uma limpeza para remoção de sujeiras mais aparentes, e em seguida aplicar uma desinfecção, que é um método capaz de eliminar microrganismos, incluindo os mais resistentes.

E na maior parte dos equipamentos industriais, especialmente aqueles usados após um processo térmico, onde não há mais nada que possa eliminar os microrganismos, a higienização (limpeza mais desinfecção) é a ferramenta de controle mais importante.

A limpeza é a fase inicial da higienização. Para que a fase da desinfecção tenha sucesso, essa primeira etapa precisa ser eficaz.

Portanto escolher o melhor produto e método para remoção de sujeiras é fundamental.

Por exemplo, se você manipula alimentos gordurosos um detergente alcalino vai proporcionar um resultado muito melhor após sua limpeza.

Outro ponto importante sobre a higienização é definIr se ela acontecerá de forma contínua ou batelada. E para essa definição, você precisa analisar seu processo.

Processos com inúmeras tubulações ou arranjos que não podem ser desmontados com frequência precisam ser submetidos a sistemas de higienização contínuo, o famoso CIP.

COMO PLANEJAR A HIGIENIZAÇÃO

A higienização é um processo industrial, e deve ser planejado e executado como tal.

Vamos ao passo a passo…

Passo #1) Inspeção nas Instalações

Faça uma AVALIAÇÃO das instalações, equipamentos e utensílios que utiliza, bem como verifique os resíduos gerados na sua empresa.

Verifique as condições dos equipamentos. Equipamentos em estado de corrosão são bem mais difíceis de higienizar.

Em alguns casos caberá uma manutenção ou troca do mesmo.

Verifique também a disposição dos equipamentos na área produtiva. O plano de higienização deve prevenir a recontaminação. A disposição dos equipamentos deve favorecer a limpeza dos mesmos.

Por fim, após a inspeção, responda as três perguntas abaixo.

Utilize as tabelas 1 e 2 (que estão no guia em pdf gratuito) para obter orientações sobre que tipo de produto usar na etapa de limpeza e sobre as características de algumas superfícies.

1. Qual o tipo de resíduo a ser removido?

2. Quanto dele existe? Muito, pouco ou uma quantia intermediária? Essa resposta será útil em um momento posterior de definição da concentração dos produtos a serem utilizados.

3. Os equipamentos e utensílios são feitos de qual material?

OBS: Se for necessário, separe as respostas por setores da empresa.

O objetivo é você entender qual a melhor opção de higienização no seu caso (no guia em pdf você encontrará tabelas complementares).

Passo #2) Defina quais os produtos mais adequados e qual o método mais eficaz

Perceba que suas respostas anteriores já deram um direcionamento do tipo de produto químico a ser usado na limpeza.

Quanto ao sanitizante, minha dica é que comece com um produto a base de cloro e veja sua eficácia. Eles tendem a funcionar muito bem.

Conhecendo sua superfície e seu resíduo fica mais fácil escolher a MELHOR OPÇÃO de PRODUTO QUÍMICO que o mercado oferece. Aqui é hora de pesquisar e decidir qual utilizar.

Veja nas informações do fabricante a concentração ideal a ser usada. Eles geralmente dão dicas valiosas.

A escolha dos sanitizantes depende do quão asséptico você precisa que o meio esteja ao final da higienização.

Não se esqueça de avaliar a FREQUENCIA de higienização, bem como o tempo que será gasto com ela. Essa decisão é única e exclusivamente da empresa.

A empresa também deve definir qual método de higienização será empregado: CIP, manual, etc. Isso dependerá muito do tipo de equipamento que possui. Com a inspeção inicial concluída, torna-se fácil tomar essa decisão.

Passo #3) Agora você precisa ter um controle da potabilidade da água

Não adianta nem começar a fazer um planejamento de higienização se você não tem um controle da água utilizada.

Não adianta usar um produto químico caro para limpeza se a água estiver contaminada. É preciso ter certeza da qualidade da água usada.

Se sua empresa ainda não analisa a água, procure um laboratório especializado para verificar as características da mesma, pois isso terá total influência na limpeza.

Passo #4) Nesse estágio você já consegue estabelecer uma rotina de higienização na sua empresa

Verifique no Guia em PDF um Exemplo de plano de limpeza.

Passo #5) Implantar o plano

Para uma melhor organização, separe os itens de acordo com as periodicidades.
Separe em uma tabela tudo que se limpa diariamente, semanalmente, mensalmente, bimestralmente, ou outra periodicidade.

Aqui é preciso fazer uma planilha de registro e orientar os colaboradores quanto ao seu preenchimento.

No guia em pdf gratuito, você encontrará um exemplo de registro de limpeza diária que particularmente gosto muito.

Passo #6) Agora, a fase final. Você precisa validar a limpeza

Mas o que é validação da limpeza?

Você precisa confirmar se o que você estabeleceu é realmente eficaz e cumpre seu papel da melhor forma quando o assunto é garantir a segurança dos alimentos. Existem métodos para essa ação também.

Como então adotar estratégias para validar o plano de higienização? Primeiramente é importante saber qual o resultado desejado com a higienização.

Dependendo do local, não há a necessidade de garantir um ambiente asséptico, ou seja, livre de qualquer contaminação. Já em outros lugares é necessário se garantir a eliminação completa de microrganismos.

Sabendo disso, é importante ressaltar que no geral há três critérios que devem ser levados em conta ao avaliar a eficácia da higienização.

O primeiro é garantir uma superfície livre de resíduos. O segundo é garantir uma superfície sem a presença de resíduos químicos de limpeza. E o terceiro é obter uma superfície sem contaminação microbiológica.

Passo #7) Depois disso é só continuar monitorando

O monitoramento deve acontecer após a realização da higienização. Pode ser realizado pela própria equipe de colaboradores envolvidos com a limpeza.

É uma conferência visual de que a higienização ocorreu conforme o esperado. Essa ação deve ser registrada.

Pode-se adotar um formulário único para registrar o monitoramento dos equipamentos de cada setor ou da empresa como um todo. Divida os formulários de acordo com a periodicidade da higienização. Veja um exemplo no Guia em PDF.

Passo #8) Chegou a hora da verificação e revisão

Deve-se estabelecer uma periodicidade para verificar a EFICÁCIA do plano. É como se houvesse uma nova validação desse plano a cada ano, ou a cada seis meses.

Essa atividade é extremamente importante, pois microrganismos tendem a ficar mais resistentes aos procedimentos utilizados, e algumas vezes deve-se modificar o método de higienização para um melhor resultado.

Além disso, pode haver a aquisição de novos equipamentos ou eliminação de outros.
Por isso é importante estabelecer um período para a verificação. Pode ser realizado juntamente com a auditoria interna já prevista na empresa.

Agora um convite! Todos nós sabemos que a responsabilidade por qualquer erro humano no processo é da área da qualidade.

E para evitar ao máximo que essa situação aconteça, é necessário saber como influenciar todas as pessoas da equipe para que coloquem em prática as ações de segurança de alimentos.

Quer saber como? Descubra nesse vídeo que preparei sobre o assunto. É só clicar aqui ou na imagem abaixo…


Samira Luana de Paula
Samira Luana de Paula

Fundadora da Lifequaly, uma empresa de consultoria em Gestão da Segurança de Alimentos para as Indústrias. Já atendeu mais de 50 empresas na implantação de normas e preparação para auditorias de certificação. Possui diversos cursos online para atender os profissionais que atuam na área da qualidade e industrial.