Garantir a Segurança de Alimentos é algo presente em todas as indústrias desse setor. Mas será que os consumidores conhecem a dimensão dos problemas que estão relacionados a esse tema?

 

Será que não seria muito mais fácil garantir a segurança de alimentos se essa cultura estivesse enraizada também nos consumidores?

O conhecimento da Segurança de Alimentos deve ir além dos muros das indústrias…deve chegar às casas dos consumidores…

Afinal de contas, um problema pode ocorrer em qualquer ponto da cadeia de alimentos, certo?

Pois é…só que estamos muito longe de desenvolver essa cultura global.

Fiz essa reflexão após ler no Food Safety News, uma pesquisa feita nos EUA com clientes de restaurantes que servem pratos prontos. Esses locais cresceram muito devido a rapidez com que atendem seus clientes…E também ao valor, já que são mais acessíveis.

Em cada resultado da pesquisa, pude constatar que os consumidores ainda precisam evoluir muito nesse sentido…Vou comentar alguns resultados:

 

PESQUISA: 86% acreditam que o uso de luvas é fundamental para a higiene.

SAMIRA: Está mais do que comprovado que luva não é garantia de nada…Aliás é muito mais garantido e seguro que um funcionário lave bem as mãos a cada hora ou após ir ao banheiro e manusear lixos, do que usar luva e esquecer que a mão deve ser lavada e a luva deve ser trocada após se manusear algo que que possa estar contaminado, como um lixo por exemplo.

Sem contar que a alergia ao látex é um problema crescente entre a população…logo, eliminar as luvas seria uma estratégia muito válida..

 

PESQUISA: 53% afirmam que acreditam que os colaboradores não lavam as mãos após usar os sanitários.

SAMIRA: Acho engraçado que isso muitas vezes se torna motivo de piada entre as pessoas e elas acham até normal o fato das pessoas não lavarem as mãos…é sempre aquela linha do que não mata engorda…Prova disso é que mesmo que a maioria das pessoas entrevistadas acham que os funcioários não lavam as mãos, isso não é impeditivo algum para frequentar esses locais.

Esse resultado de nada influencia no maior ou menor consumo de certo alimento.

 

PESQUISA: 70% acreditam que alimentos orgânicos sao totalmente seguros. 

SAMIRA: Isso é super comum…Conheço algumas pessoas que acham que porque é orgânico não precisa nem lavar…

Alimento orgânico não é sinônimo de segurança…ele pode ser livre de agrotóxicos, mas isso não significa que não pode ser um foco de contaminação de bactérias…No caso de verduras, devem sim, serem lavadas cuidadosamente, seja em casa ou nos restaurantes.

 

PESQUISA: 44 % disseram que voltam a um restaurante que tenham conhecimento que alguém adoeceu ali.

SAMIRA: Muita gente volta no restaurante e nem liga pra isso…Triste realidade.

 

PESQUISA: 42 % disseram que reclamam na mídia no caso de qualquer problema.

SAMIRA: Não vejo muito isso acontecer…até tem uns casos polêmicos por aí…mas na maioria são muito mais oportunistas do que qualquer outra coisa…

 

Uma coisa que precisa estar clara para os consumidores é:

Quando se trata de alimentos, temos dois fatores a considerar: Um é a probabilidade de uma bactéria desenvolver uma doença e outro é o quão séria será essa doença…

 

Essa análise nos faz entender que nem sempre um alimento vai estar contaminado, e mesmo que se estiver, o efeito que ele pode causar em algumas pessoas pode ser nulo…

 

A previsão disso tudo não é lógica…pois isso depende de cada indivíduo, do organismo de cada um…da idade…da imunidade…enfim…nossa obrigação é prever o risco…

 

É como jogar com a sorte. Toda ação tem uma consequência, que em se tratando de alimentos você não sabe bem qual é…Você pode decidir se quer arriscar…


Samira Luana de Paula
Samira Luana de Paula

Fundadora da Lifequaly, uma empresa de consultoria em Gestão da Segurança de Alimentos para as Indústrias. Já atendeu mais de 50 empresas na implantação de normas e preparação para auditorias de certificação. Possui diversos cursos online para atender os profissionais que atuam na área da qualidade e industrial.